Ser mãe é lindo, mas a maternidade dói, dói muito às vezes

Olha, de fato, ser mãe é maravilhoso, mas a maternidade dói, e dói muito, muitas vezes. Eu estou naqueles dias em que parece que a cabeça vai explodir, de tensão sinto dores na lombar e no ombro. Sabe o que eu queria? Eu queria um quiosque na beira na praia, com cerveja zero álcool e aquela música ao vivo que faz você viajar. Eu queria uns minutos com uma amiga, para conversar, falar besteira, jogar conversa fora. Eu queria cantar em alto e bom som qualquer música que me faz fechar os olhos, eu queria poder sair por aí, dançar, dançar e dançar. Tudo isso ou algo disso, apenas um pouquinho. Por meia hora? Por uma hora? Para aí voltar para a casa de energia e alma renovadas e dar o melhor de mim para os meus filhos, dar aquele abraço gostoso e se divertir ao brincar com eles de carrinho, caminhão, carreta, trtaor esteira, ou qualquer coisa do gênero.

Mas agora não dá, não tenho a música, estou longe do quiosque, eles choram, o bebê de 3 meses está  sentindo falta do colo da mãe e o de quase 3 anos está “quebrando” tudo, pois tamanha energia teve que ficar contida hoje em um apartamento. Sim, a mamãe não teve força para sair no parquinho hoje. E aí se inicia a bola de neve, bebê irritado, criança com ciúmes do irmão, criança com energia acumulada, mamãe irritada, cada vez irritada e com vontade de gritar, botar o choro todo para fora! Meu Deus, o que fazer?? Primeiro me descontrolei com o mais velho e pedi para ele ficar quieto. Mas é óbvio que isso não teve efeito nenhum né mamãe. Mais tarde, uma vaga lembrança das inúmeras informações, excessivas na verdade (e que muitas vezes parecem simplesmente fugir da cabeça) que vou obtendo de educadores, livros de educação não violenta, comunicação não violenta e etc., me veio à mente e eu entrei com o bebê no banheiro e me tranquei. Eu disse para o mais velho: “por favor, para de pular encima da cama, o seu irmão está aqui, isso pode quebrar a cama e machucar vocês”, “por favor, para que eu não estou aguentando, eu estou ficando muito irritada”, “já que você não parou, eu preciso sair daqui para respirar e me acalmar, então vou me trancar no banheiro para isso”. Pronto, aí começou o berreiro do mais velho do lado de fora, a batedeira na porta. E eu dizendo que precisava me acalmar. Quando ele parou, eu abri, e saí, dizendo que eu estava um pouco melhor. Certo ou errado? Sinceramente, já nem sei. O que sei é que ele parou por um tempo, até surgir uma nova história minutos depois, e eu me senti melhor por não ter gritado mais uma vez e nem ter chegado ao ponto de dar uma palmada. Viva, mais um dia! Um dia após o outro! E agora? Agora estou na espera do maridão chegar do trabalho para que eu possa dar aquela fugidinha, nem que seja para o chuveiro com uma música beeeem alta e relaxante!  

Amigas da cerveja 0,0 %, amigas que querem ir dar uma voltinha no shopping, que querem dar uma volta na rua e sentar em um lugar qualquer para dar boas risadas ou simplesmente jogar conversa fora, aquelas que querem dançar um forró, um zouk, um samba, ou qualquer rock, onde vocês estão??? Eu preciso de vocês, pelo menos por uma horinha hoje! Help me!

2 comentários em “Ser mãe é lindo, mas a maternidade dói, dói muito às vezes

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s